Utilizador:GoEThe/Wikimedia 2010

Da Wikimedia

Ir para: navegação, pesquisa

Diário de viagem – Wikimania 2010 Gdansk, 9-11 de Julho de 2010 Por GoEThe

Pela primeira vez, vim este ano a um Wikimania. Por coincidência, foi também a primeira vez que encontrei cara-a-cara outros Wikipedistas, que anteriormente só conhecia pelo nome ou pelo pseudónimo.

Cheguei a Gdansk ao fim da tarde de sexta-feira, dia 9, após uma viagem de avião rápida vindo de Copenhaga. Felizmente no dia anterior, tinha conseguido informação através do IRC sobre o melhor caminho a seguir, e também consegui saber em que residência ia ficar, pois a organização não tinha informado isso. Houve alguns problemas de organização antes da Wikimania começar, mas durante a conferência em si, não notei grandes problemas.

Pouco depois de chegar à Filarmónica de Gdansk, local da conferência, encontrei o Waldir que reconheci graças à foto colocada no site da Wikimedia Portugal (:)). Mais tarde encontrámos outros Wikimaníacos lusófonos, incluindo o Everton, Solstag, Nevinho, Pietro Roveri, Castelobranco (este último só no dia seguinte). Infelizmente já tinha perdido grande parte do programa do dia, em especial o jantar, para grande pena minha pois estava esfomeado. Ainda assim, cheguei a tempo de assistir ao concerto de música clássica dedicado ao pianista polaco Wladyslaw Szpilman, biografado no filme “O pianista”.

Índice

Jantar lusófono

Sábado, 10 de Julho

Wikipedia offline[1]

Comecei o dia com a sessão “Wikipedia Offline”, sobre a possibilidade de criar livros (ou PDFs) baseados nos artigos da Wikipédia. Falou-se um pouco de como usar a ferramenta, como se podem organizar capítulos, escolher uma capa, e alguns pormenores técnicos, como a remoção de predefinições de manutenção dos artigos antes de o imprimir. Mas a parte mais interessante para mim foi a comparação que fizeram entre um artigo e um livro e o que se deve pensar para conseguir produzir um livro de qualidade. No caso dos livros pode-se pensar mais na meta-estrutura dos artigos, como eles se relacionam um com os outros, se há redundâncias num artigo que já está coberto num artigo mais apropriado, consistência interna (não só dentro de um artigo, mas no conjunto de artigos). Um livro também obriga a pensar se um tema está bem coberto pela Wikipédia e ajuda a identificar artigos que precisam de ser criados, melhorados, expandidos.

Wiki-based Scientific Writing[2]

Como o Castelobranco também estava a assistir a esta sessão, às 9.30 passei para a sessão “Wiki-based Scientific Writing” onde estavam a falar sobre como usar wikis em geral no contexto de uma sala de aula. A palestra foi um pouco má, mas pelo que consegui perceber, falavam sobre gestão de referências com BibTex, e advogavam o uso de uma wiki por estudante, com alguma partilha de espaço.

Chapters: The Good, the Bad and the Ugly[3]

Em seguida passei para o painel de discussão “Chapters: The Good, the Bad and the Ugly”. Aqui falou-se sobre potenciais equívocos, discussões, incompatibilidades entre as associações locais e as respectivas comunidades Wikimedianas. Alguns dos “problemas” apontados incluíam os membros das associações deixarem de ser activos na comunidade online e editores não demonstrarem interesse em se tornar membros das associações; o que resulta em divisões começarem a aparecer entre os dois grupos. Foram dados alguns exemplos que aconteceram com a Wikimedia Israel:

Conselhos dados para associações a ser formadas ou principiantes:

Conselhos às comunidades:

No fim, houve alguma discussão sobre se uma associação deve crescer até ao ponto em que pode contratar pessoas. Um ponto é que as pessoas podem envolver-se em associações só para tentarem ter um emprego, com o contraponto que se uma associação for suficientemente grande, alguém permanente pode ajudar bastante na organização.

Wiki Community Best Practices[4]

Depois do coffee break, assisti à sessão “Wiki Community Best Practices” ([5]), com uma palestra sobre a Wikipédia russa. A palestra falava principalmente sobre os conflitos que ocorriam frequentemente por lá. Os principais tópicos que levam a conflitos são ficção e fair use. O ArbCom russo já avaliou 56 casos só em 2010, incluindo um caso em que 30 usuários estabeleceram um Google group para coordenar reversões na Wikipedia. Um outro caso, o da “GSB cabal” envolvia 10 usuários e 50 fantoches, cujo objectivo era principalmente forçar um POV anti-gay e algo sobre uma nova Rússia imperial. A sua metodologia incluía assediar candidatos a administrador. Resultou em que as decisões passassem todas a ser feitas por discussão, não votos. Falou-se também na: diminuição do número de admins, o que resultou na possibilidade de outros usuários fecharem PEs simples; as Flagged Revs foram activadas em 2008 nos Artigos Destacados e Bons, mas apenas 80% dos artigos incluídos estão patrulhados; criaram uma Incubadora, onde artigos de relevância questionável eram movidos para um domínio separado; uma ferramenta chamada Wikificator ajuda a wikificar texto, e melhora a usabilidade; o ArbCom removeu o estatuto de administrador de alguns usuário, o que curiosamente fez com que aumentasse as nomeações para administrador (infelizmente não disseram o que fizeram os admins).

Uma outra palestra desta sessão foi do Kim Bruning sobre “Wiki community best practices.Why are less people contributing?” ([6]). Falou bastante sobre a história da Wikipédia e dos seus antecessores, sobre como a Teoria dos jogos e a Teoria do caos podem explicar alguns aspectos da interacção Wiki. A teoria dos jogos resulta numa estratégia “olho por olho” cooperativa ou “tit for tat”, por isso a melhor estratégia quando se encontra alguém novo, é cooperar com ele (Presuma a boa fé). A teoria do caos prevê que regras “duras” geram resultados inesperados e muitas vezes opostos aos desejados. O corolário desta observação está resumido em “Ignora todas as regras”. A primeira Wiki foi a WikiWikiWeb, com um documentMode, escrito na terceira pessoa e não assinado e um ThreadMode para discussão. Falou-se também um pouco sobre se No Original Research e Reliable Sources seriam indispensáveis para escrever uma enciclopédia; sobre votações vs. sondagens (vs. discussão); sobre a intervenção de peritos em certas matérias (conclusão: se seguirem as regras gerais, são bem vindos).

Translation[7]

À tarde, assisti um pouco à palestra da Google sobre o projecto de tradução para projectos mais pequenos, em que usaram o Google Translation Kit ([8]) para traduzir uma centena de artigos do inglês para Hindi, Árabe, Swahili, e algumas outras línguas. O texto traduzido automaticamente era depois passado para tradutores profissionais para correcção e carregado na Wikipedia. A reacção da comunidade foi um pouco mista, parece. Alguns artigos foram apagados. Havia também a possibilidade de usuários usarem o Google Translation Kit para fazerem as suas próprias traduções, mas não apresentaram dados sobre isso. Infelizmente, parece que o Português ainda não é suportado pela ferramenta.

Getting Video on Wikipedia[9]

A palestra sobre “Getting Video on Wikipedia” foi um pouco técnica, mas já está disponível um javascript para tornar o streaming de vídeos em algo “peer-to-peer” ao invés de ser o commons a hospedar todos os vídeos, poupando largura de banda à Wikimedia. Na Wikipedia inglesa há uma gadget que activa isto que parece algo como:

Exodus:Is Wikipedia Dying or Maturing[10]

Na sessão “Exodus: Is Wikipedia Dying or Maturing?”, a palestra “Why do Editors Leave Wikipedia? A Survey of Casual Contributors” de Howie Fung ([11]) falou sobre o balanço entre os editores novos e editores que abandonam. Apresentou os resultados de um questionário 10000 contribuidores casuais para a wikipedia inglesa. Nesta Wikipedia, há cerca de 40000 contribuidores activos por mês, com cerca de 8-9 mil novos contribuidores por mês. O questionário focou em contribuidores com 20 a 99 edições, mas que não tinham edições nos últimos 3 meses. A taxa de resposta foi de 12%, o que é bastante elevado. Foi-lhes pedido para descreverem a melhor experiência, a pior experiência, e foram também pedidos outros comentários. Além disso, perguntaram-lhe porque deixaram de contribuir: As maiores razões invocadas foram “Eu não parei de contribuir” e “Tinha outros compromissos”. As experiências mais recompensadoras foram quando alguém reparou nas suas edições, quer por ter dado uma medalha, quer por alguém melhorar o seu artigo até ser considerado “bom”, ou algo semelhante. As piores experiências relatadas lidam com conflitos “territoriais”, POV, assédio, reversões, ninguém nota o trabalho. Há também um sentimento geral de falta de comunicação transparente sobre as regras do site.

Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Associação
Como apoiar
Ferramentas